Figuras Públicas voltam a viver no Aeroporto de Lisboa para ajudar crianças com cancro.

 A atriz Sofia Escobar, Fernando Pinho e a equipa de Triatlo do Clube Oriental de Lisboa ( C.O.L)

A atriz Sofia Escobar, Fernando Pinho e a equipa de Triatlo do Clube Oriental de Lisboa ( C.O.L)

A partir de 31 de Março, e durante 9 dias, atores, cantores, jornalistas e cidadãos anónimos regressam ao Aeroporto de Lisboa para uma nova edição da campanha “24 Horas”.

Promovida pela The Amélia Project Foundation, conhecida internacionalmente como Please Take Me There, a segunda edição do “24 Horas” tem como objetivo angariar fundos para transportar 500 crianças com cancro para o hospital. Estas crianças da Birmânia (Myanmar) vivem em pobreza extrema, com o equivalente a menos de 40 cêntimos por dia.

Em 2016 mais de 100 figuras públicas, incluindo nomes como José Fidalgo, José Mata, Alda Gomes, Sofia Arruda, Sofia Nicholson, Fernando Alvim, Diogo Infante, João Manzarra, Sofia Escobar, Bibá Pita, Luís Aleluia, Luís Eusébio, Noémia Costa, Nuno Gomes, Miguel Gizzas, Mantorras, Quimbé e Ricardo Carriço participaram na primeira edição do “24 Horas” tendo conseguido angariar mais de 55 mil euros.

Esta verba permitiu:

- ajudar 400 crianças e adultos, no Myanmar, durante dois meses;

- realizar um estudo sobre as necessidades mais urgentes, a publicar em breve a nível internacional;

 - criar um fundo de emergência disponível para as famílias de crianças numa situação mais difícil.

“Na Birmânia existe apenas um hospital capaz de tratar crianças com cancro. Em média estas crianças precisam de viajar 24 horas cada vez que precisam de receber tratamento ou fazer exames. A maioria das famílias vive em pobreza extrema e não tem rendimentos para pagar as viagens que chegam a custar mais do que o rendimento mensal da família. Muitas chegam a perder as suas casas, terrenos agrícolas e o gado necessário para se alimentarem”, afirma Fernando Pinho, fundador da ONG sediada em Cambridge, Reino Unido.

“Desde 2015 que estamos a apoiar os casos mais urgentes, mas precisamos de oferecer apoio continuado às 500 crianças que temos identificadas. Sem ajuda, mais de 90% não receberá tratamento e acabará por morrer sem quaisquer cuidados paliativos”, acrescenta.

Os nomes das figuras públicas que participam na segunda edição do “24 Horas” são divulgados dias antes do arranque da iniciativa, que conta pelo segundo ano consecutivo com o apoio do Aeroporto de Lisboa.

O trabalho da fundação é realizado em parceria com a ONG World Child Cancer e autorizado pelo governo da prémio Nobel Aung San Suu Kyi.

Fernando Pinho